Tempos de escola

Alguns ex-alunos deixam saudades, seja pela sua alegria, pela sua inteligência, pelo seu espírito de cooperação, e até mesmo pelas suas 'aprontações'.
Lembro de uma ocasião em que duas turmas tinham uma avaliação de Física comigo. Uma turma faria antes do intervalo e a outra, após o recreio. Pois bem, manjado nos 'paranauê' que eu já era na época, fiz questão de elaborar duas provas distintas com apenas algumas pequenas mudanças de valores, o que para os desatentos passaria despercebido. Depois de aplicar a prova na primeira turma fiz questão de 'esquecer' uma das avaliações em branco sobre a mesa do professor. Desnecessário dizer que, em poucos segundos a folha iria parar na outra turma. Findo o intervalo me dirigi
para a turma que faria a outra prova. Fiz a chamada, entreguei as folhas com as questões e dei as instruções: "Após o primeiro entregar, cinco minutos depois recolherei todas as provas!" Claro que essas orientações faziam com que ninguém entregasse o seu teste muito cedo, sob risco de ser espancado pelos demais...Cerca de 10 minutos depois, um dos alunos já aparentava ter encerrado a prova, virando-a sobre a sua carteira, aguardando poder entregar. O sorriso dele ia de orelha a orelha. Também desnecessário dizer que ele foi o 'contato' com a outra turma e que ele tratou de reproduzir e distribuir a prova em branco, por mim 'esquecida' na outra sala. 
Faltando cerca de 20 minutos, recolhi as provas e após dar uma olhada por cima, pedi licença a turma para dar uma declaração: "O que acharam de prova? Estava fácil?" 'SIM!' - disseram todos.
E eu continuei: "Por acaso chegou aqui nessa sala uma prova em branco que eu apliquei na outra turma?" 'NÃO!' - disseram alguns, principalmente o garoto sorridente que havia completado a prova em 10 minutos. "Ainda bem! Porque as provas eram totalmente diferentes..." Caras de pavor e pânico se formaram por todos os cantos. Alguns começaram a suar frio. Outros seguraram as lágrimas. 
E o garoto sorridente? Ah, esse se levantou, deu um tapa na carteira e exclamou: "Tô f..." Nunca mais, nunca mais mesmo, alguém daquela turma quis saber de colar em uma prova de Física...

Você está aqui: Entrada Opinião Tempos de escola